.

O FIM DO MUNDO EM 12 DE OUTUBRO DE 2012

 

"Profeta do fim do mundo" nega estar envenenando fiéis
Imprimir
Compartilhar no Orkut
Texto: A- A+

A informação de que o “profeta” Luiz Pereira dos Santos, 43 anos, estaria supostamente envenenando seguidores foi desmentida pelo próprio profeta à equipe da TV Cidade Verde. Ele disse ser contra a violência e que as pessoas estão hospedadas em sua casa porque não tinham onde se instalar.


Na casa de Luís Pereira são dez quartos que hospedam
63 pessoas, que deixaram suas casas e profissões para esperar o fim do mundo, que eles acreditam ser na próxima sexta-feira, dia 12 de outubro de 2012. A casa fica localizada no Parque Universitário, zona Leste de Teresina.

Socorro Lima

A professora Socorro Lima é uma das pessoas que abandonou sua casa e seu trabalho para seguir o “profeta” há cerca de um ano. “Eu me sinto feliz, porque tudo que aprendi na faculdade quando fui para as escolas eu vi que era totalmente o contrário. A teoria era muito bonita, mas na prática era diferente”, argumentou a seguidora.

Eles passam o dia rezando e vendo filmes sobre o fim do mundo.

Em setembro, o “profeta” foi investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) por supostamente está abrigando crianças e adolescentes que abandonaram a escola para seguí-lo e também estaria realizando casamento de adolescentes.

O profeta voltou a negar as denúncias e disse que não obriga ninguém a fica na sua casa.

Como tudo começou

Luiz Pereira contou à polícia que há quatro anos recebeu a visita de um anjo de Deus, que lhe informou que o mundo iria acabar em 12 de outubro de 2012. Desde então, Luiz passou a "pregar" em várias cidades do Brasil, como São Paulo e Brasília.

Ele relatou que sofreu muitas represálias durante as pregações. Disse também que a religião dele não tem um nome, que ele apenas acredita em Deus e está acolhendo o povo que a sociedade excluiu, como pobres e drogados.

http://www.cidadeverde.com/quot-profeta-do-fim-do-mundo-quot-nega-estar-envenenando-fieis-115036

 

 

Passando o dia das crianças de 2012, a professora terá oportunidade de rever sua conclusão sobre estar errado o que aprendeu na faculdade.